CATEGORIA: CASES VZA, Centros de Distribuição, INOVAÇÃO, SUSTENTABILIDADE

PROJETO ASSINADO PELA VZA, NOVO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DO GRUPO HIMALAIA É INAUGURADO

Com necessidade de expandir operações de negócios e realocar a infraestrutura de suas atividades, o Grupo Himalaia inaugurou em agosto deste ano um novo centro de distribuição de produtos em Eldorado do Sul/RS. A equipe Vera Zaffari Arquitetura participou do processo desde a concepção, projeto e orçamentação da obra, dedicando toda sua expertise técnica e conhecimento em centros de distribuição para atingir o melhor custo do empreendimento e eficiência na viabilização da execução da obra.

Os tons de branco, azul e vermelho da edificação respeitam a identidade visual da marca. Quatro vezes maior do que a infraestrutura anterior, a nova sede do CD Himalaia acompanha um padrão moderno em nível tecnológico.

Vista aérea do CD Himalaia

Vista aérea do CD Himalaia

Tecnologia de alta geração está presente em todos os equipamentos do CD Himalaia

Tecnologia de alta geração está presente em todos os equipamentos do CD Himalaia

As instalações contam com um prédio administrativo, um armazém, um restaurante aberto ao público interno e externo, além de todas as áreas técnicas e de apoio necessárias ao funcionamento de um centro de distribuição.

Sede administrativa com 2.000m² de área construída

Sede administrativa com 2.000m² de área construída

Armazém com 6.800m² de área construída

Armazém com 6.800m² de área construída

Restaurante aberto ao público

Restaurante aberto ao público

Enquanto a estrutura antiga possuía apenas cinco docas, o novo CD abriga 26 docas que atendem todo o fluxo de recebimento e expedição, com espaço para a manobra das carretas e fácil acessibilidade à rodovia. Com o crescimento das dependências do centro, aumentou também o número de funcionários do grupo, totalizando mais de cem colaboradores no quadro funcional.

Docas cobertas

Docas cobertas

Além do padrão moderno em nível tecnológico, o CD Himalaia é referência em sustentabilidade. Com o objetivo de economizar recursos naturais, o fechamento do prédio foi feito com materiais mais eficientes e isolantes, minimizando a carga térmica do ar condicionado e reduzindo o consumo de energia. As dependências são cobertas com isolante térmico e contam com lâmpadas sustentáveis, bem como iluminação natural, possibilitando menor consumo de energia. O uso de gerador em horário de ponta viabiliza uma economia mensal de 20%.

Ainda, aeradores nas torneiras, mictórios e torneiras com temporizador e bacias sanitárias com acionamento duplo resultam em uma economia de água de 49%. O reaproveitamento do calor excedente do ar condicionado é previsto para aquecer a água dos chuveiros dos funcionários.

Cobertura com telha zipada, isolamento térmico e acústico e iluminação natural

Cobertura com telha zipada, isolamento térmico e acústico e iluminação natural

Por tudo isso, o empreendimento está sendo apresentado pela VZA a outros clientes do mercado coorporativo, incluindo shoppings, hotéis e varejo, como modelo de sustentabilidade, economia e prospecção de marca.

 

 

 

CATEGORIA: CASES VZA, Hotéis, INOVAÇÃO, MERCADO, Varejo

REVITALIZANDO ESPAÇOS: PROJETO DA VZA PARA O HOTEL LAGHETTO VIVERONE HARMONIZA PASSADO E PRESENTE

Em setembro de 2014, o caderno Casa&Cia, do Jornal Zero Hora, trouxe detalhes da reformulação arquitetônica do hotel Viverone Moinhos, lançamento mais recente da rede hoteleira Laghetto no estado. O charmoso casarão de 1937, inventariado pelo patrimônio histórico de Porto Alegre/RS, foi revitalizado e transformado em empreendimento comercial.

A equipe Vera Zaffari Arquitetura assina o projeto, tendo enfrentado o desafio de manter a arquitetura original do imóvel e criar uma edificação integrada para comportar 132 quartos e hospedar até 300 pessoas.

foto001

A casa de 613 m² recebeu apenas pintura e pequenas manutenções. Neste ambiente, situam-se a recepção do hotel, o restaurante, o bar e a área de estar. Vitrais, piso de parquê e corrimão em metais e madeira foram mantidos, bem como um oratório existente no segundo piso.

foto002

foto003

foto004

Uma passarela integra a antiga residência da família Michelleto à nova estrutura construída, com 6 mil metros quadrados e 11 pavimentos. A fachada da edificação é em revestimento cerâmico, alumínio composto e vidro duplo refletivo, que promove isolamento térmico e acústico.

foto005

O modelo cosmopolita de arquitetura contemporânea e a herança cultural do casarão harmonizam passado e presente, formando um complexo hoteleiro repleto de charme e conforto.

Para ler a matéria na íntegra, acesse http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/casa-e-cia/noticia/2014/09/dois-hoteis-de-diferentes-perfis-cumprem-o-papel-de-fazer-os-hospedes-se-sentirem-em-casa-4595126.html.

CATEGORIA: SUSTENTABILIDADE

Artigo “Sustentabilidade como estratégia comercial”, editado pela diretora da VZA, é chamada de capa da Revista Dirigente Lojista. Confira o texto na íntegra!

Revista Dirigente Lojista | Julho 2014 | Edição 477 | Ano 40

O tema sustentabilidade entrou definitivamente na pauta de estratégias para atrair e fidelizar o cliente no varejo. E a arquitetura comercial torna-se uma excelente ferramenta para garantir esse sucesso. Bem criados e executados, projetos sustentáveis podem, além de preservar a saúde das pessoas e do meio-ambiente, reduzir custos e perdas e gerar receitas adicionais, aproximando clientes, fornecedores e colaboradores.

Dirigente Lojista

Leia Mais

CATEGORIA: INOVAÇÃO, INSTITUCIONAL, MERCADO, Varejo

VZA projeta expansão de Lojas Eliane

eliane2O escritório VZA – Vera Zaffari Arquitetura elaborou o novo projeto dos pontos de venda das Lojas Eliane, rede de varejo de roupas e calçados em franca expansão pelo interior dos estados de São Paulo e Paraná.

elianeAs mudanças representam uma mudança de posicionamento da empresa, que iniciou suas atividades com uma pequena loja em Carlópolis (PR) e hoje busca uma profissionalização em sua gestão.

eliane3“O projeto de Piraju, quarta loja, tem como premissas básicas favorecer o autosserviço e criar ambientes que conversem com seu público-alvo, sem perder o jeito de ser de cidade do interior, onde todos se conhecem”, especifica Vera Zaffari. Facilitar a operação para poder crescer sem perder a identidade é o principal desafio a ser vencido pelo projeto de arquitetura comercial. “Trabalhar com um projeto de loja que seja facilmente replicável, mas que tenha uma conceituação firme, consistente, se faz necessário no momento de expansão das redes de varejo”, ensina a arquiteta.

 

CATEGORIA: CASES VZA, INOVAÇÃO, INSTITUCIONAL, MERCADO, Varejo

Veja os novos ambientes da Luel projetados pela VZA

Luel_fachada-1024x682Um dos mais recentes projetos finalizados pelo escritório VZA – Vera Zaffari Arquitetura é o da loja Luel, localizada na Av. Ipiranga, em Porto Alegre.

A proposta era remodelar o espaço, que a partir de agora é destinado para variados segmentos de decoração e móveis planejados. Era preciso criar ambientes como em uma residência, para que o público entrasse e vislumbrasse a sala de estar, a cozinha, a sala de jantar, o quarto, o closet. “Vera Zaffari e sua equipe captaram com exatidão e sensibilidade essa ideia. Tudo ficou melhor do que imaginávamos”, atesta Elvete de Oliveira Garcia Sá, diretora da loja.

Confira os ambientes projetados por Vera Zaffari e como ficou a nova loja Luel:

SALA DE ESTAR

Luel4

 SALA DE JANTAR

Luel

COZINHA

Luel5

 QUARTO DO CASAL

Luel6

 QUARTO DE SOLTEIRO

Luel3

CATEGORIA: GESTÃO DA QUALIDADE, História da VZA, INSTITUCIONAL, Pessoas e Equipe VZA

Graciela Zaffari e o trabalho pela qualidade na VZA

Foto: Tiago TrindadeO padrão de qualidade do escritório VZA – Vera Zaffari Arquitetura é construído diariamente, com práticas de gestão atuais e de resultado comprovado – um trabalho reconhecido pelo Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP) com a Medalha (2012) e o Troféu Bronze (2013). Braço direito de Vera Zaffari no escritório, a arquiteta Graciela Zaffari (foto) trabalha para garantir essa qualidade. Como gerente de produção, ela organiza o trabalho, equilibra demandas, chama parceiros das áreas complementares para demandar projetos e otimiza o trabalho para que tudo ande de forma fluída – e para que novos projetos possam ser entregues ao cliente atendendo às suas necessidades. “Com o PGQP, aprendemos a identificar necessidades instrumentais que melhor nos ajudam na organização dos sistemas. Procuramos distribuir os projetos de acordo com os perfis de nossos profissionais para atendermos as necessidades dos clientes com excelência, rapidez e inovação”, teoriza.

VZA_GMMUma das atividades que integram o plano de ação na gestão de qualidade da VZA é o Good Morning Meeting. Trata-se de uma reunião semanal, sempre às segundas-feiras pela manhã, em que os líderes de equipe trocam informações sobre os novos projetos, atualizam os dados dos trabalhos em andamento e discutem indicadores e ideias para novas ações na empresa. “Filtramos todos os projetos do escritório e os organizamos, unificando a linguagem para o cliente”, conta Graciela. O tema da reunião é escolhido conforme a demanda. Reuniões quinzenais e um fórum de melhorias também fazem parte do escopo do trabalho pela busca de qualidade no dia a dia do escritório. “A comunicação entre os arquitetos é fundamental. Projetos de grandes clientes, dos quais vários profissionais participam, precisam estar alinhados. Nas reuniões podemos esclarecer dados, tirar dúvidas, vemos no que um e outro pode auxiliar, estabelecemos prioridades, orientamos mudanças”, especifica Graciela.

verazaffariA trajetória, o conhecimento e as experiências de Graciela colaboram em seu trabalho de busca da qualidade. Ela destaca o trabalho na Enia, em Paris (acima, Graciela e Vera Zaffari com diretores da agência). “Trata-se de um escritório no estilo ‘descolado’, como o Google costuma ser. Eles participam de muitos concursos, o que é comum na Europa. O fato de trabalharem com projetos grandes, empreendimentos de até 70 mil metros quadrados, renovou minha experiência. Lá os projetos são mais direcionados à criação e os profissionais visitam mais a obra, o arquiteto tem maior poder de decisão”, relata.